O desejo de ter o próprio negócio e dizer adeus ao chefe motiva muitos empreendedores a escolherem o setor de franquias. Nesse modelo de negócios, as chances de que o empreendimento seja bem-sucedido são consideravelmente maiores, uma vez que a marca já está consolidada no mercado o que não o livra da tarefa de reduzir custos.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, as 4 melhores práticas para ajudar você a reduzir significativamente os custos da sua franquia e incrementar sua rentabilidade. Boa leitura!

1. Melhorar as negociações com fornecedores

É altamente recomendável efetuar algumas cotações de fornecedores (o ideal é que sejam, ao menos, três). Desse modo, você conhecerá melhor o que está adquirindo, bem como as margens de retorno esperadas pelo seu investimento.

Trata-se, de modo geral, de obter mais informações acerca do fornecedor em potencial, identificando suas referências e o que pode ser oferecido por faixa de preço. Essa técnica contribui para deixar você mais preparado para reagir a certas eventualidades, por exemplo, diante de fornecedores que cobram valores mais altos do que deveriam.

O sucesso da negociação, portanto, é a consequência, o estágio final de um processo iniciado ao se explorar as diferentes alternativas disponíveis: se você falar diretamente com as empresas fornecedoras e encontrar alguém que já foi seu cliente, ficará mais fácil, a partir dessas bases, começar bem uma negociação.

2. Realizar um planejamento tributário adequado

Os tributos e impostos representam uma grande parte do total de faturamento alcançado pelas empresas. A legislação é bastante complexa, exigindo atenção por parte do empreendedor. Desse modo, o planejamento tributário é crucial para garantir a estabilidade financeira dos seus negócios.

A despeito do fato de que os impostos devidos por todas as organizações são bem-delimitados, há meios legais para reduzir a sua carga fiscal. Portanto, o planejamento tributário é uma forma de prever e estudar essas possibilidades, o que resulta em menores custos.

3. Fazer análises constantes do fluxo de caixa

Todas as saídas e entradas, em um dado período, dos recursos financeiros da empresa, são realizadas pelo fluxo de caixa. Ele pode ser feito em uma base diária, semanal, mensal ou na periodicidade que melhor se encaixe às necessidades do negócio.

Não obstante, o ideal é que as análises do fluxo de caixa sejam bastante frequentes, a fim de oferecer fundamentos sólidos para qualificar o processo de tomada de decisões e auxilie, também, no cálculo de riscos, na projeção de cenários e na avaliação acerca dos cumprimentos de metas e objetivos estratégicos.

4. Engajar os colaboradores

Os custos com os funcionários são, via de regra, os mais altos e de mais difícil negociação em uma franquia.

Afinal, enquanto franqueado, você só poderá reestruturar o seu quadro de colaboradores com vistas a reduzir os custos se essa medida não comprometer a qualidade dos produtos e/ou serviços comercializados, o atendimento ao cliente e, logo, a imagem da marca.

Esse contexto faz com que a gestão de pessoas tenha um papel central em qualquer estratégia de redução de custos, à medida que a capacitação e o treinamento são elementos essenciais para engajar os colaboradores.

Lembre-se de que ter colaboradores verdadeiramente engajados resulta na diminuição dos índices de rotatividade (turnover) e evita gastos desnecessários com demissões e contratações.

Cumpre ressaltar, por fim, que é possível reduzir custos que, em muitas ocasiões, passam despercebidos pelo simples fato de não estarem na rotina do líder empresarial. Para detectar desperdícios e falhas nos processos, você deve realizar análises setoriais aprofundadas

Gostou do artigo? Então assine a nossa newsletter e seja o primeiro a receber os melhores conteúdos e atualizações.