Julho é o período ideal para fazer a vistoria e revisão dos uniformes escolares, já que eles serão utilizados por mais seis meses e durante as férias escolares as peças ficam em stand by. Calça curta, joelho rasgado, camiseta manchada são algumas “avarias” que as roupas podem sofrer durante o primeiro semestre do ano.

“Se a escola permitir, podemos realizar corte e ajuste nas camisetas, incrementar as calças – no caso das jeans, colocar lantejoulas, apliques, desenhos –  aumentar as saias com tules ou tecidos da moda, colocar estampas nas manchas das camisetas, cortar a calça que já pequena e transformar em shorts, e até usar as blusas de moletons que já estão com as mangas curtas e transformá-las em mochilas ou estojos”, afirma Paulo Alexandre, diretor da Arranjos Express, franquia especializada em ajustes e customização e que apoia um estilo de vida com mais sustentabilidade e reaproveitamento de materiais.

Com tecnologia de ponta e profissionais altamente capacitados para executar as transformações nas peças, a marca aposta na contribuição da redução do consumo desenfreado e dá algumas dicas do que pode ser feito com os uniformes escolares:

 

  • Aumentar a perna da calça ou expandir com tecido similar, com a costura da forma escolhida, aparente ou não;
  • Colocar joelheiras e cotoveleiras nas partes gastas do uniforme, garantindo maior durabilidade a peça;
  • Colocar “pachs” na mochila para deixá-la exclusiva e nova outra vez, economizando muito.
  • Transformar o moleton em mochila;
  • Incrementar a calça jeans com lantejoulas, aplicações ou adesivos;
  • Cortar e ajustar as camisetas e inserir bordados.
  • Cortar a calça que já está curta e transformar em shorts e com as pernas fazer estojos.

 

“Reciclar os uniformes desgastados pelo uso, gera economia, além de ser uma atitude consciente, pois reciclar peças beneficia também a natureza”, afirma Alexandre.